domingo, 3 de fevereiro de 2013

Mais algumas fotos enviadas pelo João Santos

                                                             Picada Luica-Mucondo
                                                           Pensa ser um quartel
                                                                    Pensa ser um quartel
                                                              Com o Soba no Mucondo
                                           Será a fazenda Bombo?

5 comentários:

  1. Mais uma vez estou deliciado a ver estas fotos da região de Mucondo/Santa Eulália nos dias de hoje!
    Pudera eu refazer hoje, também estes percursos,cerca de 40 anos depois de ter calcorreado estas picadas durante os 15 meses que estive aquartelado no Mucondo (1973) na Guerra Colonial.
    Obrigado amigos João Santos e José Catalão por esta oportunidade única de recordar o passado que apesar de tudo nos deixou saudades, pelo menos da sólida camaradagem cimentada pelos anos da guerra.

    ResponderEliminar
  2. Será a Fazenda Bombo? Bem, a fazenda Bombo, éstava de facto situada a poucos Kms do Mucondo, do lado direito da picada Mucondo Santa Eulália.( como nesta foto se vê).
    Já não reconheço este sítio, mas o edificio parece ser o da Fazenda Bombo, em 1973/74 gerida por um tal Ramalho que não era "boa rez"...que hostilizava a tropa que por sua vez não o gramava!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta casa, que tudo leva a crer ser uma antiga fazenda, fica a muito poucos km do Mucondo mas do lado esquerdo como se pode ver. Como a picada é nova, pode ter sido alterado o traçado e passar por outro lado. Mais á frente, aparece o edifício todo murado e que penso ter sido o quartel dos voluntários, este sim, do lado direito da picada.

      Eliminar
  3. Caros amigos; Ao ver esta casa, casa do Sr. Ramalho, dono da fazenda BOMBO não posso deixar de escrever e dar a saber o que aqui se passou no último dia da nossa estadia em Mucondo. Era Junho como sabemos, tempo da seca do café, já metade da companhia tinha vindo embora para Ambriz, ficando no Mucondo metade dos nossos e metade da comp. que nos foi render, foi assim durante uma semana, penso eu. Todas as noites iam 2 secções durmir a esta casa do Sr. Ramalho porque era a secagem do café, uma noite foi a minha secção e outra dos maçaricos recem chegados! a uma certa hora da noite estava de sentinela nessa varanda que se vê a volta da casa um dos maçaricos, há um infeliz bailundo trabalhador da fazenda, que estavam alojados num barracão do lado direito do carro que se vê na foto em frente á casa, por qualquer motivo saiu á rua! o maçarico não pergunta nem quer saber mais nada, uma rajada de G3 e o pobre ficou todo crivado das balas caido no chão .. Todos nos levantamos para ver o que se passava, incluindo o Sr. Ramalho, vimos então o acontecido!! mas o bailundo não estava morto, O que me revoltou !! depois a reação do Sr. Ramalho - Em lugar de o socorrer,! Não-Foram estas as palavras - Ainda se acaba com ele! que não desse trabalho a ninguém -!
    São recordações que não esquecem, e até deviamos esquecer, desta passagem, só a minha secção é que deve saber, é pena não haver mais pessoas a escrever no blog, leitores, são mais, mas pouco a pouco vai crescendo..
    Um abraço e o meu obrigado ao Catalo e João Santos, Tenho mais a escrever de outros lugares daqui do Mucondo, mas este comentário não podia deixar de o fazer...

    ResponderEliminar
  4. =Olá amigos, também me lembro relativamente bem da dita Fazenda, vista da picada claro pois das várias vezes que por lá passei, umas a caminho do Mucondo, outras de Carmona, ficou-me desde sempre na memória o dito quartel dos voluntários, com aquela torre que se vê no meio.
    Mais palavras para quê; Um muito obrigado ao João Santos.
    Vejo com muito gosto, que outros colegas, de outras unidades, que por aquelas zonas também andaram, a visitarem o nosso Blogue, que todos sejam bem vindos.
    Um grande abraço para todos, em especial para os do Bat.Caç.2833

    ResponderEliminar